Custodiados são identificados durante o Carnaval


Pessoas presas durante o Carnaval cujos documentos não são suficientes para garantir a identidade são encaminhadas para realizarem a identificação criminal no Instituto de Identificação Pedro Mello (IIPM).

Até agora, 21 custodiados foram identificados na Coordenação de Identificação Criminal (CICRIM), que funcionada em regime de plantão 24 horas. “É muito comum o preso mentir quanto a sua identidade para que seus crimes sejam imputados a outras pessoas, por isso, sempre que há dúvida da autoridade policial, a identificação criminal é fundamental” explicou Jorge Ressurreição, vice-diretor do IIPM.



Durante a identificação são coletadas as impressões digitais, fotografias e registradas as características individualizadoras, a exemplo de tatuagens, amputações e cicatrizes. O objetivo deste tipo de identificação é vincular aquela impressão digital ao indivíduo. “o principal elemento coletado é a digital, uma vez que é única para cada pessoa”, finalizou Jorge.

Além disso, é também realizada uma busca no banco de dados do Sistema de Identificação por Impressões Digitais Automatizado – SIIDA/BA, e se o indivíduo já tiver uma carteira de identidade será possível apontar todos os seus dados.


Fonte: Ascom/Departamento de Polícia Técnica (DPT)


ÚLTIMAS DE BAHIA

%d blogueiros gostam disto: